Meu mundo expresso de várias formas... (my routes, my rules)

terça-feira, dezembro 25, 2007

Feliz Natal e um Ótimo 2008!!


REALISTA
- Mário Quintana -

A princípio bastaria ter saúde, dinheiro e amor, o que já é um pacote louvável, mas nossos desejos são ainda mais complexos. Não basta que a gente esteja sem febre: queremos, além de saúde, ser magérrimos, sarados, irresistíveis. Dinheiro? Não basta termos para pagar o aluguel, a comida e o cinema: queremos a piscina olímpica e uma temporada num spa cinco estrelas.

E quanto ao amor? Ah, o amor... não basta termos alguém com quem podemos conversar, dividir uma pizza e fazer sexo de vez em quando. Isso é pensar pequeno: queremos AMOR, todinho maiúsculo. Queremos estar visceralmente apaixonados, queremos ser surpreendidos por declarações e presentes inesperados, queremos jantar a luz de velas de segunda a domingo, queremos sexo selvagem e diário, queremos ser felizes assim e não de outro jeito. É o que dá ver tanta televisão. Simplesmente esquecemos de tentar ser felizes de uma forma mais realista. Ter um parceiro constante pode ou não, ser sinônimo de felicidade. Você pode ser feliz solteiro, feliz com uns romances ocasionais, feliz com um parceiro, feliz sem nenhum.

Não existe amor minúsculo, principalmente quando se trata de amor-próprio. Dinheiro é uma benção. Quem tem, precisa aproveitá-lo, gastá-lo, usufruí-lo. Não perder tempo juntando, juntando, juntando. Apenas o suficiente para se sentir seguro, mas não aprisionado. E se a gente tem pouco, é com este pouco que vai tentar segurar a onda, buscando coisas que saiam de graça, como um pouco de humor, um pouco de fé e um pouco de criatividade.

Ser feliz de uma forma realista é fazer o possível e aceitar o improvável. Fazer exercícios sem almejar passarelas, trabalhar sem almejar o estrelato, amar sem almejar o eterno. Olhe para o relógio: hora de acordar. É importante pensar-se ao extremo, buscar lá dentro o que nos mobiliza, instiga e conduz, mas sem exigir-se desumanamente. A vida não é um jogo onde só quem testa seus limites é que leva o prêmio. Não sejamos vítimas ingênuas desta tal competitividade. Se a meta está alta demais, reduza-a. Se você não está de acordo com as regras, demita-se.

Invente seu próprio jogo. Faça o que for necessário para ser feliz. Mas não se esqueça que a felicidade é um sentimento simples, você pode encontrá-la e deixá-la ir embora por não perceber sua simplicidade. Ela transmite paz e não sentimentos fortes, que nos atormenta e provoca inquietude no nosso coração. Isso pode ser alegria, paixão, entusiasmo, mas não felicidade.

***

Neste Natal e Ano Novo, é isso que desejo a todos vocês: uma felicidade-realista!
Realista também significa intensa! Talvez até mais intensa do que nossas próprias fantasias...

Então... desejo a vocês, muitas realizações, muitas alegrias, muitas surpresas boas, muitos momentos marcantes, muita vida em cada simplicidade do dia a dia... muita felicidade-real, verdadeira!

A felicidade-realista é muito mais intensa, muito mais inteira, daquela que presumimos encontrar, porque ela é muito maior e ao mesmo tempo, muito mais simples, do que tudo aquilo que pensávamos a seu respeito... e, definitivamente, ela está em nossas mãos. [será que compliquei demais a mensagem? Enfim...] Por isso tudo, a humanidade deve parar de complicar as coisas e tratar de viver o tal mundo real, na sua simplicidade. Não espere pelo Papai Noel. Wake up!!

Em 2008, também desejo a todos: infinitas possibilidades de sucesso, todas reais... mãos-à-obra!!

Que venha o ano novo!!
Com muito amor, paz, felicidades, cumplicidade, harmonia, equilíbrio, humanidade, sabedoria... e mais infinitas posibilidades!


ps: recebi esse texto do Mário Quintana, de uma querida amiga, que foi minha colega em três cursos. Dois deles com o Néstor Monastério (grande Néstor) e o terceiro era um de cinema (aqueles em que fazemos um curta no final). Infelizmente faz tempo que não nos vemos, mas tenho certeza de que não iremos perder o contato, apesar da loucura diária das nossas rotinas. Também achei que esses dizeres do poeta tinham tudo a ver com o que eu desejo a todos os meus queridos amigos - como você.

2 comentários:

Nina Antonioli disse...

Em resumo: Carpe Diem, minha cara!

Excelente 2008 para ti!

Milhões de beijocas!

Larissa Bohnenberger disse...

Assino embaixo, amiga!
Um ótimo 2008 pra ti, e que a gente consiga se encontrar com mais freqüência, e regar estes encontros com muita ceva e muita Selma, boas e velhas companheiras!
Bjs!