Meu mundo expresso de várias formas... (my routes, my rules)

sábado, agosto 16, 2008

Perdidos na Cidade Baixa

Há quem diga que os instintos boêmios afloram na sexta-feira à noite, de uma forma naturalmente sublime e quase que "magnética"... transportando as criaturas da noite a situações e lugares além da imaginação!

Talvez seja algo complexo demais para se definir verbalmente! Por esta razão, acredita-se que somente os notívagos sejam capazes de compreender tal fenômeno perfeitamente! Simplesmente porque sentem e vivenciam o
pulsar da noite.

Em uma sexta-feira qualquer, um grupo de amigos se encontra ao acaso no “bosque” cidade baixa. Tá certo que alguns deles já haviam combinado previamente; entretanto, a maioria encontrou-se meramente por obra do “acaso”, se é que vocês acreditam em acaso!

***

- Amanhã vamos nos encontrar na cidade baixa? (diálogo ocorrido no dia anterior)
- Vamos! Mas... e se estiver chovendo??
- Ah... se não der pra sentar na rua, a gente fica dentro né... fazer o quê?! O importante é estar no boteco!


***

Após se encontrarem - ao acaso ou não - saíram andando pelas “trilhas do bosque”, que esconde bares para todos os gostos entre suas árvores.

Durante a caminhada ocorreram muitas conversas e situações inusitadas, frutos da atmosfera noturna, que a todos os boêmios influencia...

Divagações, conversas transcendentais, bobagens do dito “acaso”, análises profundas, assuntos diversos, sempre seguidos de gargalhadas, também com algumas alfinetadas, logo remediadas:

- É uma brincadeira, amor, cadê o teu senso de humor? Até rima com amor, senso de humor, que tu tem, eu sei!



Nas ruas do "bosque"!

Durante a caminhada e dissertações acerca de qual local elegeriam como seu "bar-doce-bar" naquela bela e instigantefloresta”, uma das meninas do grupo entrelaça o braço em uma das árvores próximas e afirma, com o olhar distante, de quem está visualizando o habitat natural da matéria orgânica comentada:

- Um pé de eucalipto!exclama ela com ternura, após um profundo suspiro, enquanto olhava para a lua cheia e o belo céu estrelado.
- Eucalípto??todos se entreolham.
-
Amiga, isso não é eucalipto!
- Não??responde ela, sem acreditar.
-
Claro que não! Onde já se viu eucalipto na cidade baixa... tá certo que aqui tem muitas árvores, mas... é a mesma coisa dizer que estamos rodeados de pinheiros...
- Eucalipto é uma arvore grande, que vai do chão atéééé o alto... -
apontando o dedo indicador para o céu, outra menina completa a explicação.


A lua a tudo observa e em tudo interfere.

“Fly Me To The Moon”

São as portas que nos levam aos caminhos ou são os caminhos que nos levam as portas??

- Se a floresta amazônica um dia já foi mar, assim como os Andes um dia já estiveram no fundo do oceano, o que nos impede de mudar o significado da nossa existência?
- Nossa! Que papo profundo... - se interessa outro membro do grupo.
- Viver não é só um ato de criação, também significa reinventar-se. A realidade é dinâmica, e a felicidade consiste em ser dinâmico, mutável. De nada adianta ter a mente fechada! – completa ela, inspiradíssima pela lua cheia.
- Somos eternos aprendizes, não só na arte de amar, que é a base da nossa essência, mas também na arte de viver: reinventar, transgredir, adaptar, evoluir, amar...
- complementa ele.


"Caminante no hay camino, se hace camino al andar..."

O único foco: observem o coração sob a minha cabeça, a noite revela o nosso estado de espírito! É por isso que: “yo amo los mundos sutiles”

***

Caminante No Hay Camino - Antonio Machado

Todo pasa y todo queda,
pero lo nuestro es pasar,
pasar haciendo caminos,
caminos sobre el mar.

Nunca persequí la gloria,
ni dejar en la memória
de los hombres mi canción;
yo amo los mundos sutiles,
ingrávidos y gentiles,
como pompas de jabón.

Me gusta verlos pintarse
de sol y grana, volar
bajo el cielo azul, temblar
súbitamente y quebrarse...

Nunca perseguí la gloria.

Caminante, son tus huellas
el camino y nada más;
caminante, no hay camino,
se hace camino al andar.


Al andar se hace camino
y al volver la vista atrás
se ve la senda que nunca
se ha de volver a pisar.

Caminante no hay camino
sino estelas en la mar...


Hace algún tiempo en ese hogar
donde hoy los bosques se visten de espinos
se oyó la voz de un poeta gritar
"Caminante no hay camino,
se hace camino al andar..."

"Golpe a golpe, verso a verso"...


Murió el poeta lejos del hogar.
Le cubre el polvo de un país vecino.
Al alejarse le vieron llorar.
"Caminante no hay camino,
se hace camino al andar..."

“Golpe a golpe, verso a verso”...

Cuando el jilguero no puede cantar.
Cuando el poeta es un peregrino,
cuando de nada nos sirve rezar.
"Caminante no hay camino,
se hace camino al andar..."

"Golpe a golpe, verso a verso".


Sorte a minha que nasci cachorro! - indagou o vira-lata ao observar as criaturas da noite!

Mas louco é quem me diz, que não é feliz...

- Já sei para onde podemos ir!!! – e assim os andarilhos se dirigem ao bar que costumavam ir todas as sextas-feitas. Após uma divertida caminhada, estava mais do que na hora de “armar acampamento” nos bares da vida, beber filosofia e contemplarem aquilo que se define como empatia, amizade, sintonia... (- garçon, trás mais uma!)


Destino: O Bar. Ou seria livre-arbítrio?

Entre uma polar e outra, a piada jamais poderia ser desperdiçada, tal qual a cerveja, sempre gelada:

- Olha o fulano telefonando pra uma gatinha...implica uma das meninas, enquanto filma um dos rapazes ao celular.
- Quem será?questiona outro membro da “roda”.
- Agora vai começar o flerte!completa outro rapaz, enquanto servia os copos com mais cerveja, beeemmm gelada.
- Sexta-feira noite na república, ele já ta esquematizando o resto da night, marcando uma saída nos inferninhos... - finaliza a cinegrafista.



- Se você é diabética e não pode comprar balas, compre para os seus amigos! - salientou um pequeno notável.

Se você não quiser comprar balas dos andarilhos da cidade baixa, jamais diga que você é diabético. Este pequeno notável, determinado e bem-humorado, tem resposta para tudo, e foi incentivado por todos os presentes na mesa para que nunca deixe de estudar. O menino tem futuro, certamente será um empreendedor!



"A vida é muito curta para beber vinho ruim". - autor desconhecido.

Encerro meu post de retorno, depois de Eras Glaciais sem aparecer por aqui, com um brinde! Um brinde, à inspiração pelas coisas simples, a minha crise de abstinência de escrita, à falta de tempo superada pela inspiração, e ao inusitado de tudo aquilo que é belo do dia-a-dia.

Agradeço aos leitores que não deixaram de visitar o Proud World mesmo nas “vacas magras”... se bem que, aqui não tem lugar pra vaca, sou vegetariana... enfim... valeu o incentivo! Estou de volta... obrigada pela paciência, podem retornar a audiência, muitos contos se seguirão...

Beijos e até breve!

4 comentários:

Larissa Bohnenberger disse...

Aaaaaaa-leluia! Aaaaaa-leluia! Aleluia! Aleluia! Ale-e-lui-aaaa!

Olha que eu não posso falar muito, pois fiquei um mês sem dar as caras no meu blog, mas tu te puxou, heim? Rsssss!

Essas viagens na boemia, de vocês são algo! Adoro! Só tem uma coisinha que eu quero te perguntar: Tudo bem, tu é vegetariana, mas a vaca magra não poderia estar viva e pastando??? Ahahahahahahahah!

Bjs!

P.S. Sorry pelo 'bolo'!

Proud Mary disse...

Pois-é amiga, a abstinência pela escrita tava me consumindo de tal maneira que consegui superar a falta de tempo... finalmente!! eheheheh

Sim, vaca magra não só pode como deve estar viva e pastando, e não presa, engordando, pra ser objeto de consumo... nem como forma de expressão! eheheh (sou uma ativista, não repare)

Qto ao 'bolo', vc vai poder se retratar comigo no próximo sábado, na festa da MADONNA... não admito recusas hein?!

Vamos preparar o bloco pra depois lembrar do evento em 'posts'! :P

Beijosss

Larissa Bohnenberger disse...

Puta merda... odeio ativistas de qualquer tipo... mas abro uma exceção pra ti, ahahahahahahahahahahahahah!
Tô brincando... eu concordo que as vacas magras devam estar pastando... as mais gordinhas, entretanto, no espeto mal passadas são uma delícia... mnham!!! Ahahaha!
Sorry! Vê se não vomita, heim?
Bjuuuus!

Proud Mary disse...

"Vc é o que vc come"... eheheheh

Bjss