Meu mundo expresso de várias formas... (my routes, my rules)

domingo, maio 27, 2007

Filósofos de Boteco

Quem nunca vivenciou um momento de filosofia-líquida em algum boteco nas quebradas da vida?
E quem nunca vivenciou vários desses momentos?
Posso atestar que a maioria dos meus amigos já tiveram essa experiência etílico-filosófica (além de mim, é claro!).

Então, caros amigos, como vocês bem sabem, ou bem podem lembrar (se é que lembram), chega um dado momento da noite em que qualquer boteco, por mais boteco que possa parecer, atinge o seu ponto ápice na cadência da boemia... Esse clímax ocorre no momento exato em que todas as criaturas notívagas se transformam em filósofos de último gabarito! Embora ainda não existam evidências físicas e científicas que comprovem tamanha transmutação de consciência, diz a lenda urbana que: qualquer um, não mais que subitamente, torna-se apto e capaz de criar e argumentar teses das mais variadas. Como se, em um mero estalar de dedos, todos adquirissem o título de doutorado.

Doutorado de quê? - alguns podem perguntar.

Pouco importa! O que interessa é que todos os presentes se sentem peritos em alguma área, seja ela da ciência-tecnológica, biologia molecular, física-quântica, xamanismo, cama-sutra, extraterrestres... definitivamente, não há limites!

Imagina-se que dado clímax intelectual seja fruto do consumo excessivo de cevada (e/ou assemelhados etílicos), ou apenas um holograma momentâneo do inconsciente coletivo. Teorias não faltam e nunca bastarão! Contudo, já foi verificado que a maioria desses devaneios noturnos resultam em polêmicos e divertidos debates. Cada um defende a sua tese existencial-cultural (ou seja lá qual for a sua tese, isso também não importa) com veemência! Ai de quem não entrar na onda da filosofia de boteco... corre o risco de ser banido da mesa sem precedentes!

Pessoas boêmias são vítimas dos mistérios da noite, dos universos obscuros e paralelos, das estrelas, constelações, galáxias... meros seres manipulados pela luz da Lua - a Deusa de todas as Deusas, que exerce seu poder de sedução ao seu bel prazer. Somos partes de um infinito quebra-cabeça, onde tudo parece se compreender embora nada faça sentido.

Eis aqui alguns diálogos adaptados, provindos das mesas de bares - desses momentos em que somos simplesmente abduzidos pelos ares da insanidade boêmia - com uma pequena pitada de ficção. -> “Nada se cria, tudo se transforma”

***


Anoitece o dia. Nada mais agradável do que encontrar amigos, sentar numa mesa de bar na rua e curtir um momento boteco.

"Tudo começou em mais uma roda de bar na famosa rua da república"...


Cromossomos felizes!
- O lance é que tudo gira em torno do XX tá ligado?
- Ou do XY...
- Vocês entenderam! Todo mundo quer encontrar o XX ou XY da sua vida.
- É... tudo culpa dos cromossomos!!
- A eterna busca por um par... um par... um par de genes... compatível... literalmente ‘um par’... (olhando para o horizonte de garrafas no final da mesa)
- Que chique! A nossa conversa transcendeu pra genética!
- Só quero ver aonde isso vai dar!
- O que pode parecer profundo a primeira vista, também pode significar simplificar demais a questão. Simplificar no sentido de reduzir tudo a apenas um par de cromossomos, deixando de lado a pessoa que existe beyond (além) do dito par de cromossomos... dos pares de genes do DNA... das cadeias peptídicas... porque existe uma pessoa!

- Claro que existe uma pessoa!
- blá blá blá Whyscas Sachê, blá blá blá...
- Que lindo! Os cromossomos também amam!
- Tã nã nã nã nããããmmmm
- Mazahh! Vamos fazer um brinde aos cromossomos... (erguendo o copo)
- Isso aeh! Proponho um brinde as XXs, que ainda vão dominar o universo.
- Só o mundo não tá bom? Tem que dominar o universo também?
- Claro! As XXs dão a luz, tem todo o direito de mandar nos filhos, nos maridos, nos outros planetas... enfim, em quem elas quiserem mandar.
- Dizem, inclusive, que o Y é um cromossomo defeituoso... (em tom de polêmica)
- Mais uma comprovação da superioridade das XXs!
- Não vou discutir com vocês!
- Melhor não amigo! Até porque, os XY da mesa estão em menor número.
- Um brinde as XX e a um mundo melhor! (resolve brindar pra evitar uma possível discussão)
- Um brinde para os XY, que também tem a sua utilidade! Heheheh
(tim-tim)


Promíscuos ou Santos?
- Vocês sabiam que a Organização Mundial da Saúde considera promíscuo quem transa com mais de três pessoas por ano??
- Sério? (olhar apavorado)
- Só isso??? (sem acreditar)
- É muito pouco para um corpo solteiro...
- Bah! Então todo mundo é promíscuo! eheheh
- Todo mundo, nós, né? Os outros a gente não sabe...
- Me refiro aos solteiros que estão na lida... procurando... ou você acha que é só diversão? A gente também sofre!
- Concordo! Afinal, os boêmios também amam.
- Fazer o quê se ninguém quer nada com nada...

- O mercado anda escasso mesmo.
- Voltando ao foco, quem essa organização pensa que é pra julgar o que é promiscuidade?!

- Nada menos que a Organização Mundial da Saúde, baby!
- No mínimo são tudo um bando de gente atolada!
- Só pode!!
- Tem que ver que não é todo mundo que passa o rodo na Cidade Baixa como tu!
- Eu?? Não passo o rodo nada. Apenas tô à procura do meu XX ideal. Enquanto não encontro... sabe como é... a gente vai tentando!
- É... um dia a gente acha.
- Um brinde a XX e ao XY ideal, que se Deus quiser a gente ainda vai encontrar um dia.
- Amém!
(tim-tim)
- Credo! Agora quem parece um bando de gente atolada somos nós e não a OMS.
- Pior... (enchendo os copos com mais cerveja)
- Não sei por que, mas por alguns instantes me senti num daqueles grupos de auto-ajuda... deve ter sido culpa desse último brinde.
- Que grupo de auto-ajuda o quê... aqui só tem promíscuo! Quer dizer, sem contar com vocês... (olhando para o único casal da mesa)
- É, se depender da OMS a gente é promíscuo. E que atire a primeira pedra quem ousa negar!

- Acho que aqui não tem ninguém santo não...
- Vamos combinar: se você tá solteiro(a) procurando um(a) namorado(a), primeiro você tem que conhecer a pinta, fazer um test-drive, essas coisas. Aí, se der certo, pode ser que vocês namorem e ele(a) pode ser o teu(tua) único(a) parceiro(a) do ano – ou até de anos, nunca se sabe o dia de amanhã. Do contrário, você vai testando outros(as), até achar a pessoa confirmada... nada mais natural!
- Quem é que vai namorar sem testar antes?!
- É verdade! Eu considero promíscua aquela pessoa que não se satisfaz só com um parceiro, que mantém um namoro e sai com meio Porto Alegre ao mesmo tempo.

- Ihh... tá cheio de gente assim.
- Tem uns que não se contentam com meio Porto Alegre, ou meio mundo... sairiam até com alienígenas, se fosse possível...
- Se é pra namorar assim prefiro ficar solteira!
- É vero! Por isso que eu não namoro por namorar... enquanto não achar um XY bacana continuo na minha!
- Que lindo! É nessa hora que começam a tocar os violinos da orquestra da OSPA.
- O que pode parecer promiscuidade pra OMS, pode ser considerado pouco pra maioria de nós, reles mortais. E eles têm que aceitar isso!
- Eles, quem? (olhando para os lados)
- Resumindo: a OMS não sabe de nada!
- Eu tenho uma teoria em relação a esses tipos de definições caretas e conservadoras... não só da OMS, mas das teorias caretas em geral...
- Ai... aí vem bomba!
- Que medo!
- Sério! Eu acredito piamente que, por trás dessas definições ridículas e incompatíveis com a realidade, existe uma pessoa mal-comida e infeliz!
- Nossa... pegou pesado! Mas sou obrigado a concordar.
- Cruz credo! Até vou fazer o sinal da cruz!
- Só pode ter uma mente frustrada por trás disso...
- Sexualmente frustrada, você quer dizer!
- Agora por que a criatura não consegue comer ninguém, ou é frustrada de alguma forma, quem tem uma vida sexual saudável é considerado promíscuo... Isso é coisa de gente atolada!
- É... faz sentido! Aí um ser infeliz desses acaba colocando as suas frustrações até na lei.
- Pior! O certo seria existir um Órgão Público Competente na Prevenção de Servidores Mal-Comidos. Esse departamento iria vetar a contratação de gente sexualmente frustrada, pra evitar que a sua insatisfação interferisse na intimidade de outrem, seja através da constituição, das leis civis, etc, etc.
- Tá... só me explica como esse Órgão Público iria fiscalizar se uma pessoa é bem-comida ou má-comida?!
- Isso não importa! O que interessa é que o órgão seja competente!
- Órgão competente... (imaginando) gostei!
- Tudo pela satisfação do cidadão!!
- A louca! Ficou ofendida por ser chamada de promíscua e resolveu transformar a sociedade numa putaria! (risos)
- Quê que eu to fazendo no meio dessa gente podre, meu Deus!!!
- Tipo assim... as pessoas são livres pra comer, ou não comer, quem elas quiserem – isso se o parceiro em potencial estiver de acordo. Enfim... cada um sabe de si. Não tem por que essas pesquisas, organizações ou o diabo-a-quatro ficarem rotulando isso.
- Totalmente de acordo!
- Que tal outro brinde?
- De novo?
- Peraí que vou encher os copos.
- Um brinde a satisfação sexual!!
- E a promiscuidade não-promíscua.
- Até que se prove o contrário...
- Abaixo aos rótulos!
(enézimo brinde)
- Vou pesquisar no google esse lance da OMS, fiquei curioso.

***


Ps: Adoro escrever, ainda mais quando se tem muitos fatos reais para se basear. Considero as melhores histórias aquelas que são baseadas em fatos reais. Ou seriam bobagens reais??

Ps_2: Em respeito à intimidade dos participantes, que serviram de inspiração para este post, nenhum nome foi citado.

3 comentários:

Anônimo disse...

Adorei a de ontem...algo assim: "Esteja onde estiver ou com quem estiver dê o melhor de si!"
Importante...

E sexta tem mais...até domingo, os findis não serão mais os mesmos depois!
Mas, contudo, todavia, entretanto brindaremos às vãs filosofias de boteco, e claro ao XX... rsrs

Larissa Bohnenberger disse...

Ahahahahahahahahahah!
Valeu a pena esperar o próximo post... tô chorando de tando rir!
A amiga se puxou, neste aqui!
Linguagem rebuscada misturada com a ironia, o sarcasmo e o deboche típicos da amiga formaram a receita perfeita...
Um brinde aos filósofos de bar!
Bjs!

Anônimo disse...

Oi foi a 2ª vez que encontrei o teu blogue e reflecti imenso!Bom Projecto!
Até à próxima