Meu mundo expresso de várias formas... (my routes, my rules)

sexta-feira, setembro 14, 2007

Uma Descoberta Arqueológica!


As crianças brincavam no sótão da casa, em meio às quinquilharias empoeiradas estimadas como ‘bens antigos da família’ – que ficavam ali jogados, de geração a geração. Em meio à brincadeira de esconde-esconde, uma das crianças encontra um artefato muito antigo, que ela só conhecia através dos museus de história da syber avenue. No andar térreo da casa, mais precisamente na sala principal, os adultos tomavam seus destilados e conversavam a respeito das novas descobertas na nossa galáxia, das relações políticas interplanetárias dos últimos meses...

- Olha só o que eu encontrei!! – gritou uma das crianças, colocando fim àquela brincadeira ao instigar a curiosidade de todos em relação ao “Admirável Objeto Novo”. Digo: velho! - "O Admirável Objeto Velho.


- Que diabos é isso?? – perguntou um dos meninos, cujos olhos denotavam uma certa cautela diante do antigo-desconhecido.

- Isso aqui deve ser do tempo da Vovó!! – exclamou a menininha loira, provavelmente a mais observadora de todos. [no meu blog, as loiras são protagonistas! ahahah]

- Claro!! É aquele tal de disquete, que os antigos usavam junto com as carroças 386... (disfarçando o pavor na voz)

- Que horror! Eles devem ter sofrido muito... – concordou o mais nerd de todos (em toda turma, existe um exemplar de praticamente todos os tipos da fauna-humana. Assim como tem o mais-bebum, o mais-careta, o mais-divertido, o mais-fubango, o mais-mala... o mais-nerd também se enquadra nesta lista de espécimes).

- Imagina... a capacidade desses disquinhos e o espaço que eles ocupam no espaço não condizem com a nossa realidade! É um lance muito grande pra armazenar quase-nada de informação!! - concluiu a menina que meses depois iria se tornar PhD em Física Quântica Espacial.

- Pois-é! Em pensar que os discos dos disquetes eram iguais aos que os HDs daquela época possuíam... (com cara de paisagem)

- Meu pedacinho de HD!! – exclamou a Indiana Jonnes do futuro, provavelmente pertencente à mesma geração dos filhos dos nossos filhos, abraçada ao esquisito e obsoleto objeto. [minha neta loira!]



***

ps: algum de vocês ainda usa disquete?? alguém não faz a mínima idéia do que isso seja?? imaginem em um futuro próximo...

Tava arrumando umas gavetas hoje, quando encontrei uma pilha de disquetes. Fiquei paralisada por alguns seguntos, com o olhar fixo àqueles objetos literalmente esquecidos dentros do baú. Não tive como deixar de pensar em qual a utilidade que aqueles arcaicos disquetes poderiam ter a minha pessoa?

Havia esquecido completamente da existência dos disquetes, isso que não faz muito tempo que os gavadores de cd e os iPods foram popularizados. Enfim... creio que o disquete se transformou no mais novo 'fóssil-vivo' dos hardwares, muito antes do modem32kbps. Dessa filosofia ao acaso, surgiu mais um conto. Um breve conto. Espero que tenham gostado! Beijos

3 comentários:

Guille disse...

Realmente...
Assim que li o conto, abri minha gaveta e joguei 23 disquetes no lixo.
:-)

Larissa Bohnenberger disse...

Os meus estão aqui, ainda!
Só os porei fora quando conseguir revisar todos eles em algum computador que os aceite (acho que o meu micro é do futuro, por isso não os reconhece) e quando tiver a certeza de que não há nada importante ali. Como as máximas do Lu, por exemplo!
Hihihihihihih!
Bjs, miga!

Larissa Bohnenberger disse...

Mariana... ontem eu ouvi uma que me derrubou os butiá do bolso... algo mais arcaico que o uso de disquetes... tem um colega meu que tem... acredita... ainda... internet discada!!!!!!!!! (mão naboca em sinal de choque estremo).
Isso é muito pior do que disquetes guardados!
Bjs!